728 x 90

mulher-whisky-ok

As mulheres no mundo do whisky

Elas bebem sim...

04/05/2017 por

O texto que vocês vão ler mais abaixo é de um novo colega aqui do Taco de Mulher, cujo blog chama-se – O Cão Engarrafado. Sim, ele escreve sobre bebidas, priorizando o whisky, sua paixão. Ah, e esse moço, cujo o blog possui um nome curioso, atende também por Maurício Porto.
Bem-vindo Maurício, ao Taco de Mulher!
A editora que vos fala, adora bebericar uma cerveja e um bom vinho. Porém, não é de se espantar que o whisky ainda seja o mais “masculino” do mundo dos bebes, o que torna ainda mais pertinente o texto do nosso colega sobre mulheres porretas que fizeram história neste segmento.
E creio que nós, mulheres, estamos cada vez mais ganhando espaço (merecido e não mais machista, ridicularizado) dentro da publicidade. Longe de fazer apologia ao álcool, minha gente, mas falar de mulheres X bebidas alcoólicas é uma realidade. Então por que varrer isso para debaixo do tapete?
Pois sim! Nós chegamos em casa e por vezes queremos tomar um birinight, abrir um vinho, tomar umas cervejas com as amigas, ou quiçá sozinhas, por que não???? (o cenário é vasto, rs)
Fato também – segundo apontam algumas pesquisas – que o mal causado pelo álcool no organismo das mulheres é maior… e aí vale o bom senso e o velho ditado né: consuma sempre com moderação.
Voilà, se você tem mais de 18, chega mais e aprecie o texto do Maurício, O Cão!

* * *

AS MULHERES NO MUNDO DO WHISKY

Verão de 1932. A jovem Bessie Williamson desembarca na remota ilha escocesa de Islay. É seu primeiro dia em um trabalho temporário – datilógrafa de Ian Hunter, proprietário e diretor da Laphroaig, uma das mais conhecidas destilarias da ilha. Seu objetivo é permanecer por apenas três meses e reunir dinheiro para seguir seu sonho: tornar-se professora.
Hunter é um homem irascível, mas sua personalidade geniosa parece poupar a menina. Com o tempo ela ganha sua confiança, e aquele trimestre se estende por mais de meia década. A garota– agora com vinte e oito anos – não pensa mais lecionar. Atenta, tenaz e muito inteligente, ela aprende todos os detalhes do trabalho de Ian.
Em 1938 Ian sofre um derrame e falece alguns anos mais tarde. Sem filhos, deixa o negócio da família para Bessie, que acaba tornando-se a mais importante mulher na trilha do whisky até então. Em um dos mais difíceis momentos da humanidade.
Eram tempos de guerra, e Williamson consegue convencer o ministério da defesa do Reino Unido a poupar os armazéns da destilaria – que poderiam ser usados como depósitos secretos de armamento. Ela também percebe que sua destilaria precisa mudar de foco para prosperar. Começa então a viajar o mundo, como a primeira embaixadora mundial da bebida. Seu plano dá certo, e as vendas da Laphroaig decolam.

bessie-willimson

Mas Bessie não é a única. Pelo contrário. Ela é uma das muitas mulheres que, com dedicação, esforço e talento, enfrentaram as regras de um mercado iminentemente machista, e provaram que o whisky está longe de ser uma bebida naturalmente masculina.
Conheça aqui mais quatro grandes mulheres importantíssimas para a história e apreciação da melhor bebida do mundo.


ELIZABETH CUMMING

Elizabeth Cumming foi a sobrinha de Helen e John Cumming, fundadores da destilaria Cardhu – hoje, um dos principais componentes dos mundialmente conhecidos blended scotch whiskies da Johnnie Walker. Elizabeth, no entanto, foi muito mais do que uma simples proprietária e diretora. Sob seu comando, a Cardhu foi reconstruída e expandida, ganhou fama e reconhecimento.
E foi graças a Elizabeth que a Johnnie Walker se interessou por aquele negócio. Se não fosse por ela, talvez a cena atual do whisky fosse bem diferente do que é.

ALWYNNE GWILT

Nossa vida pode mudar em poucos segundos. Esta foi a impressão de Alwynne, após participar de uma degustação de whiskies em uma conhecida loja de Londres. Sua paixão e identificação foi imediata.
Em 2011 Alwynne fundou o website misswhisky.com, que fornece informação sobre tudo aquilo que orbita a bebida. A página contém entrevistas com algumas das mais importantes mulheres para a indústria do whisky, além de notícias e histórias sobre o whisky e as incríveis mulheres deste universo. Seu objetivo é desmistificar a crença de que o whisky não é apreciado por mulheres.

ALICE ELIZABETH PARSONS

Alice Parsons é a autora do livro Lore of Whisky, uma das mais importantes publicações especializadas na bebida, e o primeiro livro sobre whisky escrito por uma mulher. A obra fornece um panorama completo das diversas variedades de whisky e sua produção. Segundo ela, o whisky pode mover qualquer pessoa. Seja algo adorado ou desprezado, todo mundo se interessa. Quem poderia discordar?

PAULA LIMONGI

Paula é a representante brasileira dessa lista de ilustres mulheres que apreciam whisky. Formada em jornalismo, Limongi tornou-se embaixadora da Chivas Regal na cidade que mais consome whisky per capita fora da Escócia – Recife.
Para Paula, beber a “água da vida” é algo cultural. Em Recife, Limongi cresceu rodeada pelo consumo de whisky – principalmente na praia, inclusive por mulheres. Sua avó, mãe e tias sempre apreciaram a bebida.
Hoje o trabalho de Paula é promover os whiskies da Chivas Regal e marcas relacionadas, como The Glenlivet e Ballantine’s, organizar degustações e atividades relacionadas a whisky em Recife, propagando – inclusive entre as mulheres – o gosto pela bebida que tanto nos fascina.

*** Degustação guiada de whiskies com Maurício Porto. Harmonização com queijos, chocolates e especialidades da casa
Dia Internacional do Whisky – 20 de maio
Das 17 às 19h
No Admiral’s Place – Rua Minas Gerais, 352 – Higienópolis
Inscrições: www.lojadewhisky.com.br

Carol Marçal

Mãe de três meninas, Carol empreende de forma humanizada, é idealizadora e editora do TDM, além de redatora. Apaixonada pela sexualidade e saúde da mulher, ela curte gaita mas não toca, já publicou história infantil, faz karatê e ainda é chocólatra.

TwitterFacebook

Comenta aí, vai!